img

História

Desde 1700 a família Petribú cultiva cana-de-açúcar nas terras da Zona da Mata Norte de Pernambuco. O Engenho Petribú foi criado às margens do Riacho Petribú, afluente do Rio Capibaribe, situado na Zona da Mata Norte de Pernambuco.

Em 1895, João Cavalcanti de Albuquerque, então com 16 anos, assumiu o Engenho Petribú após o falecimento do seu pai.

Alguns acontecimentos demonstram a força e a perspicácia de João como empreendedor. No início do século XIX ele implanta no engenho a moenda e a caldeira à vapor, que até então eram movidas à tração animal.

Ao consultar engenheiros sobre a execução de uma ferrovia para levar os equipamentos ao engenho, João foi informado da impossibilidade da construção, devido ao relevo da região. Contudo, obstinado, aprendeu a trabalhar com o teodolito e, com uma equipe, foi a campo e viabilizou a instalação da ferrovia, criando inclusive uma passagem sobre o Rio Capibaribe.

Em 1911, João Cavalcanti de Albuquerque foi ao cartório e trocou seu fidalgo sobrenome pelo nome do seu lugar, substituindo-o por Petribú, demonstrando sua forte ligação com a terra.

Com a queda nas cotações internacionais do açúcar em 1929, crash da Bolsa de Nova York, João passou por grandes dificuldades e foi obrigado a plantar mandioca para subsistência da família.

Em 1932 sofreu uma paralisia cerebral, vindo a falecer no ano seguinte deixando 17 filhos, sendo Paulo Petribú o mais novo deles, então com 15 anos de idade. Deste momento em diante o Engenho Petribú passou a ser administrado pelos seus irmãos.

Nos anos seguintes, Paulo, já com o seu próprio engenho e atuando como fornecedor de cana, se casa com Helena Correia de Araújo no ano de 1944.

Em 1952, assume a Usina Petribú em condição de grandes dificuldades financeiras, contando inclusive com empréstimo do sogro Jorge Corrêa de Araújo, que o apoiou na sua jornada.

Com muito afinco, dedicação, perseverança e valorização do ser humano, Paulo e esposa transformaram uma usina de pequeno porte em uma empresa moderna e pujante, que chegou a produzir 1 milhão de sacos de açúcar em 1977.

“Uma maravilha social. Vocês criaram uma gente de trabalho com a qual vocês são solidários de fato, e não de boca, e ela, por sua vez, solidária de todos vocês", declarou Gilberto Freire em visita à Usina, no ano de 1984, para conhecer o trabalho realizado na empresa, com foco na responsabilidade social.

Em 1991 a Usina produz 2 milhões de sacos e ainda diversifica sua atividade com outros negócios. Neste período, inicia processo de aquisição de terras próprias, fabricação de ração animal, atividades de pecuária, produção de aves e um hotel de luxo, o Sheraton Petribu.